sábado, abril 25, 2009


Aconteceu hoje no calçadão de Ribeirão Preto um evento que reuniu diversos artistas da periferia da cidade. Entre eles cantaram por lá, Consciênca X Atual, Abracadabra e uma atração interestadual.

Além dos grupos, o público pode conferir uma excelente discotecagem com o Dj Izaak, free-style, grafitagem com o grafiteiro Lelim, atrações circenses da Cidade do Circo e muito break.

O evento que teve início às 11 horas da manhã, terminou às 14 horas e não deixou a desejar. O alto da festa foi o momento em que o equipamento teve problemas técnicos, e os integrantes do Consciência contornaram a situação com um free-style de primeira, e até que o aparelho voltasse afuncionar, ninguém ficou no silêncio. Muitas pessoas prestigiaram o evento.

Autoridades locais deveriam prestar mais atenção nesse tipo de iniciativa e incentivar os artistas da nossa cidade. Afim de promover a imensa cultura periférica e organizar bons eventos que atingissem todas as camadas da população.





video

quarta-feira, abril 01, 2009

JOVEM QUE É JOVEM

Divagando sobre o monte de idéias e sistemas comportamentais que a sociedade exige do jovem, eu estava pensando... hoje eu tenho 23 anos e ainda tenho meu pé na "porra louquisse", na causaria, no sentimento revolucionário de chamar a atenção.
A militante Patrícia Galvão, a Pagu, com a mesma idade que eu, era presa em 1933, como a primeira mulher a ser presa no país por motivos políticos. Por que? Porque queria chamar a atenção em prol de uma causa ideológica.
Nessa atualidade, desfavorecida de apoio a qualquer tipo de ideologias e num momento que o ser social deve amadurecer precocemente, é difícil contentar gregos e troianos quando se quer chamar a atenção.

Por um lado, é crítico e muito difícil chamar a atenção da juventude usando a inteligência, já que a maioria dessa população não recebe orientação necessária para desenvolve-la de forma criativa. Ou seja, a educação e semeação da cultura por aqui, vai de mal a pior.
Por outro lado, diante da sociedade conservadora, é complicado chamar a atencão com os recursos disponíveis por ela. Com o pouco de cultura que nos é oferecido, é preciso batalhar. E um pouco de vodka sem gelo, por favor. Entre um show "ingresso livre" e alguma dose de tequila as ideias fluem melhor...

É impossível revogar bom comportamento aos 23 anos, o auge da juventude; idade de militância, em que é preciso chamar atenção. No entanto, esse círculo miúdo de incentivos, e diante de uma sociedade acomodada, meu exemplo serve para ilustrar milhares de outros jovens que, por falta de um incentivo maior, entregam suas batalhas em causas perecíveis.
Ainda, me resta - ou me sobra - que ao menos, por parte da minha família, incentivo intelectual não faltou. Mas e àqueles que nem com isso podem contar, pois permanecem imóveis dentro da sociedade, indo em frente, sem rumo... sem estímulos protestantes e voz ativa?

Uns com certeza, estão criando poemas e transformando em música... desenhando paredes, transformando em arte e outras formas de chamar atenção... Mas outros, estão se enraizando cada vez mais na ameaça dos desvios.
Álcool e drogas, alto índice de criminalidade entre jovens cada vez mais jovens. É tudo tão gritante que me assusta. A realidade é minha aliada.

Mas o fato é: jovem que jovem tem que chamar a atenção. Senão, já não jovem...

Alguém por favor, ajude-nos! (e encha meu copo com mais três dedos de vodka, por favor.)